http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

segunda-feira, 20 de setembro de 2010


Igreja Presbiteriana do Brasil SE EXIME DO DEBATE POLÍTICO

Em nota Roberto Brasileiro diz que não apoiará nenhum candidato

Em carta publicada no portal da Igreja Presbiteriana do Brasil, o reverendo Roberto Brasileiro diz que a igreja não apóia nenhum candidato e que prima pela inviolabilidade da consciência política. Leia a carta na íntegra:

Em reunião realizada no dia 9 de setembro de 2010, o Colégio Episcopal da Igreja Metodista considerou as indicações apresentadas pelo Conselho Diretor da Faculdade de Teologia para a nomeação do novo diretor da instituição, uma vez que o atual diretor, Prof. Dr. Rui de Souza Josgrilberg, encerra seu mandato neste ano. A partir de uma lista tríplice, o CA Igreja Presbiteriana do Brasil, como herdeira da reforma protestante do século XVI, reconhece na soberania de Deus o seu compromisso de ser diferente e fazer a diferença em todos os contextos, inclusive, o político. Atualmente, vivemos um lamentável caos político com denúncias e ataques de toda ordem e em todos os níveis. Como Igreja do Deus vivo, dentre outras ações, é nossa obrigação participar ativamente do processo eleitoral da maneira consciente e com profunda responsabilidade.

Há 151 anos, a Igreja Presbiteriana do Brasil forma cidadãos dignos e habilitados para servir a Deus e à pátria, em todas as circunstâncias. Por isso, vê-se credenciada a apresentar ao povo em geral, especialmente, aos domésticos da fé, irmãos e irmãs, testados e aprovados, que têm recebido de seus pastores testemunho idôneo, de seriedade e responsabilidade no trato das causas públicas, merecendo nosso respeito e máxima consideração.

A Igreja prima pela inviolabilidade da consciência política de seus membros e, portanto, não apóia individual e oficialmente nenhum candidato ou partido político, por isso, não apresentamos nenhum candidato com a intenção de manipular ou induzir as pessoas, impondo-lhes a obrigação de votar nos mesmos. Absolutamente não! Entretanto, cabe à Igreja distinguir os irmãos e irmãs, presbiterianos em plena comunhão, que em atendimento ao mandato cultural, decidiram engajar-se na política partidária, colocando os seus dons e talentos a serviço da sociedade. É assim que os apresentamos, pedindo as orações do povo de Deus, bem como, que seus nomes sejam apreciados no contexto do processo político, sempre lembrando que o direito do voto é intransferível e inegociável e deve expressar a consciência do cristão verdadeiro.

Certo das orações e consideração dos irmãos, despeço-me.

Do servo,

Rev. Roberto Brasileiro Silva

Data: 16/9/2010

Rev. ROBERTO BRASILEIRO SILVA

Presidente do Supremo Concílio da IPB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário