http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

sábado, 30 de janeiro de 2010

Rev. Caio Fábio Filho - Ainda Fala - 2


A ALMA NA UTI…‏

Uma das maiores fontes de manutenção do amor entre os humanos, a paternidade/maternidade, está na UTI.
O mais poderoso de todos os alteradores de estado de ser e crer que existe entre os humanos, a missão de mãe, está ainda presente em um remanescente fiel, mas a árvore está cortada até a cepa.
A velhice virou 3ª idade, sem reverência e sem carinho.
A infância se tornou um show e um desfile de aquisições, de um lado, ou de mendicância, de outro.
A adolescência acontece nas câmaras virtuais, subjetivas, ausentes, autistas, em pânico energético.
A juventude se perdeu na imaturidade sem tempo pra acabar, visto que a bobagem se tornou o projeto da existência.
A vida adulta está perdida entre a inveja adolescente da juventude etária, e o pânico da inevitável 3ª idade — medo decorrente da culpa em razão de como tratam os pais envelhecidos.
E pensar que um dia João disse:
"Pais, eu escrevo para vocês porque vocês conhecem a Deus desde o principio.
Jovens, eu escrevi a vocês porque vocês são fortes, porque o amor de Deus permanece em vocês, e porque vocês têm vencido o maligno.
Filhinhos, o amor de Deus está em vocês".
Infinitamente pior do que assistir à morte do Planeta é ver todos os dias a morte do homem pela morte do amor.

Caio
3 de abril de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

sábado, 23 de janeiro de 2010

Lição EBD - 1a. IP de Paulo Afonso - Domingo: 25.01.10

ESBOÇO

Texto - Atos 4: 18 -31

Assunto – A Importância da Oração e Assistência do Espírito Santo

INTRODUÇÃO – A oração é um meio eficaz pelo qual o povo de Deus é utilizado a buscar respostas para todas as circunstâncias adversas e a ferramenta pela qual Deus disponibiliza para abençoar o seu povo.

I. A OPOSIÇÃO DOS JUDEUS:

1. Proíbem que os apóstolos não ministrem e nem falem em nome de Jesus – VV 18 – 20
2. O que importa? Obedecer a Deus ou aos homens? – V 19
3. O Parecer sensato do mestre Gamaliel – At. 5. 33-39

II. A FÚRIA DOS GENTIOS CONTRA JESUS CRISTO:

1. Eles haviam se levantado contra Deus e seu Ungido. Na oração de poder eles colocaram essa questão – VV 24 – 27;
2. Apesar da morte de Cristo já ser um desígnio de Deus;
3. Uma síntese do Salmo 2.

III. A SÚPLICA PELO PODER DE DEUS E AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO SOBRE A IGREJA:

- Envolve algumas providências que seriam imediatas:
1. Contempla as suas ameaças...;
2. Concede intrepidez (sem temor, coragem, ousadia) na proclamação da Palavra;
3. Operação de curas, sinais (advertência, aviso, marca) e prodígios (algo sobrenatural);
4. A prova da resposta de Deus é que tremeu o lugar onde estavam reunidos;
5. Todos foram cheios do Espírito Santo;
6. A comunicação do evangelho com intrepidez foi imediata – VV29-31.

CONCLUSÃO – Diante do exposto somos desafiados a tomar o exemplo da igreja primitiva, embora não podemos ser como eles, devido ao contexto, porém lembremos que somos sal e luz. E quando aparecer as circunstâncias impedindo-nos de servir a Deus, tenhamos coragem e fé para clamar o Senhor dos céus que pode vir em nosso socorro imediatamente. Pensemos nas palavras do Salmo 46 1-3, 6 e 7: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares; ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete.O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio”.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Rev. Caio Fábio Filho - Ainda Fala


DISCÍPULOS DO “SI MESMO” E DO MUNDO!‏

Jesus disse que aquele que desejar ser Seu discípulo, deve negar a si mesmo.
O “si mesmo” ao qual Jesus se refere não é o eu puro; é o eu fetichizado; é o eu morto, porém, existente como pulsão psíquica sem a volição do espírito.
Segundo Paulo, talvez ecoando o “deixa os mortos enterrarem seu mortos...” de Jesus — o espírito está morto a menos que seja vitalizado pela percepção do amor de Deus.
“Ele vos deu vida estando vós mortos em delitos e pecados”.
Na realidade a afirmação de Jesus sobre os vivos-mortos e a de Paulo sobre todos nós estarmos mortos, apesar de existentes, até que a Vida de Deus se manifeste em nós, é um conceito assustador para muitos.
Assustador, porém, verdadeiro.
Existe algo pulsante em nós que é existência psicológica, ou almática, conforme Paulo diz ao referir-se ao Homem Psíquico ou Natural.
Até que o Evangelho avive o ser [o eu profundo], o que existe em nós é alma em pulsão, por vezes controlada pela razão, mas, ainda assim, alma em pulsão.
Jung identificou o Self como sendo o principio regulador da atividade psíquica. Uma espécie de Sol da alma, da psique.
Em Jesus, o “si mesmo” não é o Self de Jung, mas é aquilo que Jung não viu no Self. Ou seja: Jung trata o Self como se ele fosse o espírito, mas, de fato, o Self ainda não é o espírito.
Na realidade o “si mesmo” é o eixo do eu iludido; é o sol do eu sem forma e vazio de Eu, embora cheio de suas imitações.
Para Jesus o “si mesmo” faz guerra contra o eu puro e vivente em espírito e em verdade.
Não existe a morte do eu em Jesus. Existe a morte do “si mesmo”.
O “si mesmo” é o eu sem caminho para fora de si!
O “si mesmo” é o eu sem o olhar da vida e da disposição de transcender ao imediato.
O “si mesmo” é o culto do eu adoecido ao que lhe seja razão imediata.
O “si mesmo” também é formado pelo conjunto de influencias do eu partido, dividido, conforme Paulo em Romanos Sete, mais as construções do curso deste mundo e das ilusões vendidas como paixões da carne.
O “si mesmo” se justifica a si mesmo com o argumento de que as coisas são como as coisas são.
O si mesmo assim vira “carma” para o eu!
Jesus, porém, diz que ninguém se torna Seu discípulo enquanto cultua o si mesmo.
O “si mesmo”, por essa razão, tem que ser negado até que morra...
“Para que por ventura não façais o que seja do vosso querer”; diz Paulo.
Hoje em dia os discípulos da “igreja” e de suas teologias prevalentes são todos discípulos do “si mesmo”.
Afinal, o que são as teologias da prosperidade, dos carros, das roupas, das casas, das empresas, das viagens, dos bens, das posses, das reputações, dos poderes e influencias — além do si mesmo assentado no seu trono no centro da alma sem vida no espírito?
Portanto, não é uma questão de “implicância” minha com tais coisas, como se não bastasse o fato de que elas negam Jesus e o Evangelho. Não. Minha revolta é porque é mentira contra Jesus e o Evangelho.
Além disso, tal equivoco também gera uma prática que perverte tudo, e que jamais fará aparecer um discípulo de Jesus.
Sem negar o “si mesmo” ninguém é discípulo de Jesus; ninguém.
No curso da vida também verifiquei que a maior parte do que se chama de “meu ministério” nada mais é do que a institucionalização do “si mesmo” como missão do ego doente de morte pela vaidade dos próprios pensamentos.
A “igreja” sem Cruz assim convida as pessoas em nome de “um certo Jesus” que nunca conheci:
“Se alguém quer vir à minha frente, a si mesmo se afirme, tome suas palavras mágicas de ordem e confissão positiva, e faça muito sucesso; pois, não vos chamei para serdes cauda, nem de Deus, mas sim cabeça; e até mesmo serdes a cabeça de Deus no mundo; que existe para ser saqueado por todo aquele que for meu discípulo”.
Portanto, a “igreja” sem Cruz não faz discípulos de Jesus, mas de “um certo Jesus”, que não é o dos evangelhos, e que faz discípulos conforme o mundo, conforme o século, conforme a morte e vaidade do si mesmo.

Nele, que nos chama para negarmos o “si mesmo” e construirmos o eu real pelo levar da Cruz,
Caio
2 de abril de 2009
Lago Norte
Brasília
DF
www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br
De: leitura@caiofabio.com (leitura@caiofabio.com)

A partir desta data, semanalmente, em nosso Blog, esataremos trazendo uma meditação do Pastor Caio, espero que você goste e seja plenamente edificado.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

A GRAMA DO OUTRO LADO NEM SEMPRE É A MELHOR


Estava assistindo a um filme intitulado “MUDANÇA DE COMPORTAMENTO”. Gostei imensamente dos episódios abordados, até que uma adolescente modelo resolveu trocar a vida corriqueira pelo menos por uma semana. A modelo rica fez a referida troca com uma garçonete que muito se parecia com ela (uma plebeia). Para a plebeia foi muito saliente àquela vida de modelo, vida que nunca tivera, pais que não eram os seus e finalmente uma vida totalmente diferente. Enquanto isso a modelo rica desfrutava de uma vida de plebeia com os pais da garçonete. Os problemas sugiram e as duas precisaram retomar às suas atividades corriqueiras, e nesse ínterim, quando as duas estavam ao telefone para desfazer a troca a modelo rica disse: “A Grama do outro lado nem sempre é a melhor”. Fora uma aventura que realmente não dera muito certo.
É... Todos nós achamos que a grama do vizinho é a melhor. Porém a vida do vizinho nem sempre é a melhor, finalmente aquilo que pertence ao outro é que certamente queríamos para nós.
Certamente, vivemos muitas vezes uma vida que não é nossa. Vivemos camufladamente. Como podemos fazer a diferença se não estamos envolvidos e satisfeitos com aquilo que vivemos e executamos? Com aquilo que Deus nos destina?
A vida é marcada por desafios. O dia-à-dia é vivido em sua plenitude, quando nos aceitamos a nós mesmos e estamos dispostos a encarar a vida do ponto de vista ético e cristão.
Porém a suma é sempre essa: Não há satisfação com o cônjuge, com o emprego, com ministério se é pastor, com a família, com a escola, com a profissão escolhida. E assim, uma série de fatores que comumente acontece conosco.
Lembremos de um conselho prático onde São Paulo nos dá em Filipenses 4: 10 - 13 e 20: “Alegro-me grandemente no Senhor, porque finalmente vocês renovaram o seu interesse por mim. De fato, vocês já se interessavam, mas não tinham oportunidade para demonstrá-lo. Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece... O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.”
Poder tudo “... naquele que nos fortalece” - significa dizer que estamos dispostos a encarar a vida negativamente e positivamente e mais: em todas as suas dimensões.
Vamos deixar a grama do vizinho pra lá e vamos cuidar da nossa. Pois cada um recebeu do Senhor seu dom e talento. E aquilo que eu e você não entendemos e compreendemos deixemos nas mãos de Deus. Peçamos a Ele as condições para que Ele nos ajude a encarar a vida em toda a sua plenitude. Que Deus nos ajude.

O texto bíblico utilizado é da NVI – Nova Versão Internacional

Rev. Cornélio Beserra Gonzaga

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Regeneração


ASSUNTO – REGENERAÇÃO

Texto - Ef. 2 1 – 7: 1 Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, 2 nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência,3 entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais. 4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, 5 estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), 6 e nos ressuscitou juntamente com ele, e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em Cristo Jesus, 7 para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça, pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus.

INTRODUÇÃO - A regeneração é o ato de Deus implantar a vida e as condições necessárias para que o coração morto consiga pulsar espiritualmente vivo em Deus.
1. O Estado espiritual de todo ser humano é uma espécie de morte espiritual - vers - 1
2.É a federação do pecado - 2Cron 6. 36 "Quando pecarem contra ti (pois não há homem que não [peque]), e tu te indignares contra eles, e os entregares diante do inimigo, para que os que os cativarem os levem em cativeiro para alguma terra, remota ou vizinha".
3.Todos estão debaixo do pecado e em rebelião contra Deus - Rm. 3 9 Pois quê? Somos melhores do que eles? De maneira nenhuma, pois já Nessa demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado;10 como está escrito: Não há justo, nem sequer um.11 Não há quem entenda; não há quem busque a Deus. 12 Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.13 A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo dos seus lábios; 14 a sua boca está cheia de maldição e amargura.15 Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.16 Nos seus caminhos há destruição e miséria; 17 e não conheceram o caminho da paz. 18 Não há temor de Deus diante dos seus olhos. 19 Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que se cale toda boca e todo o mundo fique sujeito ao juízo de Deus; 20 porquanto pelas obras da lei nenhum homem será justificado diante dele; pois o que vem pela lei é o pleno conhecimento do pecado. 21 Mas agora, sem lei, tem-se manifestado a justiça de Deus, que é atestada pela lei e pelos profetas; 22 isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos os que crêem; pois não há distinção. 23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
4.Nessa condição o homem é incapaz de agradar a Deus e regenerar-se - RM. 8: 3, 7, 8:Porquanto o que era [impossível] à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne... Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser... e os que estão na carne não podem agradar a Deus. Rm
5.A condição do homem era que o mesmo estava irremediavelmente pedido - Gl. 4: 4 Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5 Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. 6 E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai.

I.REGENERAÇÃO- É a implantação da vida espiritual naquele que estava espiritualmente morto.
A) NOVO, NASCIMENTO (#/RC Tt 3.5).
B) O tempo em que Deus vai renovar tudo (#Mt 19.28; ver BLH).
2.Tito 3:5: - NVI - "não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo"
3.Com isso aconteceu em conseqüência, o despertar dos mortos, ou seja a nova natureza em Cristo, fazendo-nos uma nova criação. 2Co. 5.17: "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo".

II.CANAL UTILIZADO:
1.O Espírito Santo - Tito 3:5: - NVI - A) "não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo"
B) Jo. 3. 5: "Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus".
2.A palavra de Deus -
A) Jo. 3:5: "Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus".
3.B) Jo.6:63 "O espírito é o que [vivifica], a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida". Outros textos: Rm 10.17; At. 16:13,14; 1Pe.1.23.
4.Embora que a regeneração não é a mesma coisa que a conversão, as duas andam juntas. A Regeneração dar-se primeiro que a conversão. Conversão sem regeneração não existe.

CONCLUSÃO - Há necessidade de haver regeneração no individuo, sem particularidade, não haverá repouso para o Espírito Santo...

Rev. Cornélio gonzaga

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Haverá Vida Após à Morte?

Estava lendo uma entrevista sobre o tema seguinte: Vida-Apos-Morte-Provada-Cientificamente. Esta será uma tese que deverá ser apresenta na PUC por Sonia Rinaldi.
Li alguns tópicos de sua entrevista, achei interessante do ponto de vista da ciência a sua colocação. Certamente como ela mesma afirma dos contactos com pessoas que já partiram desta vida para outra, porém, todo mundo sabe, que a tese é uma pesquisa que pretende ser provada, mas conforme o pensamento bíblico, há certamente uma contradição enorme, se referindo a comunicação com pessoas que já partiram desta vida.
O espiritismo em sua doutrina sempre enfatizou isto com muita ênfase da comunicação com os mortos, porém, a Bíblia nega veementemente essa doutrina conforme Lucas 16: 23 No inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão, e a Lázaro no seu seio. 24 E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. 25 Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro de igual modo os males; agora, porém, ele aqui é consolado, e tu atormentado. 26 E além disso, entre nós e vós está posto um grande abismo, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem os de lá passar para nós. 27 Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, 28 porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham eles também para este lugar de tormento. 29 Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. 30 Respondeu ele: Não! pai Abraão; mas, se alguém dentre os mortos for ter com eles, hão de se arrepender. 31 Abraão, porém, lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.
Quanto à vida após à morte, a Bíblia é autêntica em afirmar a sua veracidade. Ao contrário da reencarnação onde a doutrina espírita acredita e divulga. A Bíblia em toda a sua autoridade, ensina que há ressurreição dos mortos e não reencarnação. Veja o texto: Mateus 28: 1 No fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2 E eis que houvera um grande terremoto; pois um anjo do Senhor descera do céu e, chegando-se, removera a pedra e estava sentado sobre ela. 3 o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como a neve.
4 E de medo dele tremeram os guardas, e ficaram como mortos. 5 Mas o anjo disse às mulheres: Não temais vós; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. 6 Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia; 7 e ide depressa, e dizei aos seus discípulos que ressurgiu dos mortos; e eis que vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. Eis que vo-lo tenho dito. 8 E, partindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos. 9 E eis que Jesus lhes veio ao encontro, dizendo: Salve. E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram. 10 Então lhes disse Jesus: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão para a Galiléia; ali me verão. Veja ainda: Lucas 24: 1 a 12: Marcos 15: 1 a 8 e João 19: 28 a 30: cujos textos comprovam claramente da Ressurreição do Senhor Jesus que aliás é base para nossa ressurreição, sendo ele as primícias dos que dormem.
O apostolo Paulo trata do assunto com muita profundidade, abrangência, profusão e clareza em 1º Coríntios 15: 1 Ora, eu vos lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no qual perseverais, 2 pelo qual também sois salvos, se é que o conservais tal como vo-lo anunciei; se não é que crestes em vão. 3 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; 4 que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; 5 que apareceu a Cefas, e depois aos doze; 6 depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram;
7 depois apareceu a Tiago, então a todos os apóstolos; 8 e por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo. 9 Pois eu sou o menor dos apóstolos, que nem sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus. 10 Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo. 11 Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos e assim crestes. 12 Ora, se prega que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, como dizem alguns entre vós que não há ressurreição de mortos? 13 Mas se não há ressurreição de mortos, também Cristo não foi ressuscitado. 14 E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. 15 E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não são ressuscitados. 16 Porque, se os mortos não são ressuscitados, também Cristo não foi ressuscitado. 17 E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados. 18 Logo, também os que dormiram em Cristo estão perdidos. 19 Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima. 20 Mas na realidade Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. 21 Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos.
22 Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.
23 Cada um, porém, na sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda. 24 Então virá o fim quando ele entregar o reino a Deus o Pai, quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder. 25 Pois é necessário que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de seus pés. 26 Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte. 27 Pois se lê: Todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz: Todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
28 E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos. 29 De outra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos? Se absolutamente os mortos não ressuscitam, por que então se batizam por eles? 30 E por que nos expomos também nós a perigos a toda hora? 31 Eu vos declaro, irmãos, pela glória que de vós tenho em Cristo Jesus nosso Senhor, que morro todos os dias. 32 Se, como homem, combati em Éfeso com as feras, que me aproveita isso? Se os mortos não são ressuscitados, comamos e bebamos, porque amanhã morreremos. 33 Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes.
34 Acordai para a justiça e não pequeis mais; porque alguns ainda não têm conhecimento de Deus; digo-o para vergonha vossa. 35 Mas alguém dirá: Como ressuscitam os mortos? e com que qualidade de corpo vêm? 36 Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. 37 E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo, ou o de outra qualquer semente. 38 Mas Deus lhe dá um corpo como lhe aprouve, e a cada uma das sementes um corpo próprio. 39 Nem toda carne é uma mesma carne; mas uma é a carne dos homens, outra a carne dos animais, outra a das aves e outra a dos peixes. 40 Também há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres. 41 Uma é a glória do sol, outra a glória da lua e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela. 42 Assim também é a ressurreição, é ressuscitado em incorrupção. 43 Semeia-se em ignomínia, é ressuscitado em glória. Semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder. 44 Semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual. 45 Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante. 46 Mas não é primeiro o espiritual, senão o animal; depois o espiritual. 47 O primeiro homem, sendo da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. 48 Qual o terreno, tais também os terrenos; e, qual o celestial, tais também os celestiais. 49 E, assim como trouxemos a imagem do terreno, traremos também a imagem do celestial. 50 Mas digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção. 51 Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, 52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. 53 Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. 54 Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória. 55 Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? 56 O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. 57 Mas graça a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. 58 Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.Veja ainda 1ª Tessalonicenses 4: 13 a 18.
Quanto à vida ativa no céu, nós não negamos, é uma realidade viva, pois a Bíblia fala claramente sobre o assunto, Filipenses 1: 2: “Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor...” e Lucas 16: 23 No inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão, e a Lázaro no seu seio. 24 E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. 25 Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro de igual modo os males; agora, porém, ele aqui é consolado, e tu atormentado. 26 E além disso, entre nós e vós está posto um grande abismo, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem os de lá passar para nós. 27 Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, 28 porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham eles também para este lugar de tormento. 29 Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. 30 Respondeu ele: Não! pai Abraão; mas, se alguém dentre os mortos for ter com eles, hão de se arrepender. 31 Abraão, porém, lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.
Precisamos ter muito cuidado com o que falamos e ouvimos. Não desclassificamos a ciência. Porém, a Bíblia está acima da ciência, pois Deus é o seu autor, apesar de Deus ter concedido sabedoria aos homens, mas eles às vezes extrapolam.
Portanto, cremos numa ressureição, onde Jesus trará em sua companhia todos os que morreram nEle. Isto acontecerá na sua segunda vida gloriosa.Cremos sim, numa vida eterna, após túmulo. Há vida sim, após a morte.

Rev. Cornélio Gonzaga

PS - Se você quer consultar a Matéria sobre a tese de Sonia Rinaldi acesse o link: http://seteantigoshepta.blogspot.com/2010/01/vida-apos-morte-provada-cientificamente.html

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

(P. 02) Sonhos – Autor – Cornélio Gonzaga


Fora em 2003 que comecei a rabiscar alguns poemas e poesias. Naquela época eu estava vivendo uma das piores crises de minha existencial.Foi nesse interim que comecei à escrever. Foi uma forma de jogar para fora os meus sentimentos e minhas emoções. Mas graças a Deus tudo foi restaurado. Esta poesia - Sonhos, foi a segunda de uma série. Continuo escrevendo, hoje, com uma outra conotação diferente.

SONHO

Sonhar – Sonhar sonhos,
Dormindo, acordado, sonhando.
Esta é a vida de sonhos.
Sonhos que se sonham!
Mas não se concretizam.
Sonhar por sonhar, e só?
Do que vale a pena só sonhar?
Se tudo caminha para o pó?
É como a andorinha que só vive a voar.

Sonhar esses sonhos é pura ilusão.
De lutas, de um desvairado coração.
Coração que apenas sofre,
Sofre, porque é feito de algo tão pobre,
O pó que volta ao pó.
Porque é pó.
O amanhã é bem mais difícil.
Porque tudo que é efêmero e fútil.
E assim vai, toda nossa existência que parece inútil.

Lutar, viver, empreender e envolver.
Não representa mais o reviver.
Sim, porque a vida tem suas pretensões:
Ilusões e desilusões.
Por que sempre desabrocha dos dolorosos corações.
Corações que já não suportam e alguns se desvairem,
A dor, a angústia e a vida apática.
É como a névoa que vem e logo se vai,
Por que é frágil demais e logo cai.

Andar, viver, assim é amável?
Ou, seria melhor o inexistir?
Pois o lidar é o torna-se como o fel.
Que amarga, amarga, e não há doçura.
Que bom se fosse doçura!
A vida seria mais bela.
Porém, pode ser que um dia mude.
Pois, afinal é melhor esperar do que desesperar.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Missões 1


Texto - Mateus 9.35-38
35 E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.
36 E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes, como ovelhas que não têm pastor.
36 Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros.
38 Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara”.

INTRODUÇÃO: Osvaldo Smth - “Foi chamado de o principal missionário estadista desta geração – Todos os seus livros escritos em resposta a ‘O clamor do mundo’. É o homem que Deus usa, acalma e traz respostas a esse clamor. paixão pelas almas é um testemunho sobre a interversão de Deus em favor desse mesmo mundo que perece. Esse clamor universal do coração levou o a desenvolver o ministério de evangelismo em muitas regiões do mundo. Em sua pátria, cada membro de sua congregação teve inúmeras oportunidades de constatar a paixão desse guerreiro. Até a data de seu falecimento seu ministério havia contribuído para o sustento de cerca de 350 missionários e até a data recente mais de 6 milhões de dólares haviam sido destinados para a causa” - (Reverendo Jack MCAlister)”.

TEMA: Missões

I. A ESPANSÃO (IMENSIDÃO) DA SEARA (V.37 a)
1. A Seara – uma figura: tinha alusão com o povo judeu. Mais tarde tem a inclusão de todo mundo (Marcos16.15; Mateus.28.18-20).
2. O mundo todo tem buscado resposta da igreja para sua necessidade espiritual.
- Russel Champlim diz que “os homens que deixam a Seara (no sentido material) sem ceifa-la, devem ser considerados, insensatos, pervertidos, ou pelo menos negligentes.”;
3. Jesus através de seu ensino nas parábolas, principalmente do “semeador” – esse simbolismo implica numa dinâmica na pregação da palavra, utilizando todos os meios.
“O evangelista Osvaldo Smth faleceu no ano de 1986. atualmente, a igreja dos povos em Toronto, Canadá, sobre a direção do evangelista Paul Smth (filho de Osvaldo Smith) contribui para o sustento de cerca de 850 missionários. No ano de 1992 foram levantados cerca de 2 milhões e 500 mil dólares para missões.”
Aplicação: como nos comportamos diante da imensidão da Seara...?

II. A CARÊNCIA DE OBREIROS NA SEARA (V. 37b)
1. Analisando João 44:35 - Jesus afirma: “Erguei os vossos olhos...” – mostram-nos que devemos ter a visão do reino de Deus.
“Os trabalhadores são poucos” – para todas as carreiras a concorrências entre os homens a milhares de excedentes procurando vagas nas universidades, mais para o ministério a mais urgente e de todas as vocações, poucas pessoas se oferecem“. – R. Shed.
2. Na época de Jesus, existiam muitos religiosos (como hoje nas nossas igrejas) mas crentes autênticos e diligentes eram poucos...
3. Hoje, dentro de nossas igrejas, encontramos as pessoas fugindo das responsabilidades outorgadas... Outros fazendo a obra do Senhor negligentemente (Jeremias 48.10).
4. Há descomprometimento com a obra... Outra pessoa faz. E eu o que estou fazendo?
“Também uma outra característica missionária de Deus é que ele é um Deus que envia como já disse John Stott: o nosso Deus é um Deus que envia, ele tem enviado o Senhor Jesus Cristo e agora envia sua igreja para alcançar as nações da terra... a visão de Deus é universal, porém sem ser universalista, Deus está preocupado com todas as etnias da terra, com todas as nações, tribos, raças e línguas”. (Ehud Garcia).
Aplicação: Quem está pronto a dizer como Isaias: “... eis-me aqui. Envia-me a mim” - Todavia, a solução é apresentada no versículo 38 de Mateus 9: “Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara”.

III. A INTERCESSÃO PELA SEARA (V.38)
1. Em meio às questões tratadas anteriormente, a solução aparece: “Rogai, pois, ao Senhor da Seara para que envie (mande) ceifeiros para sua Seara.”
- Deus é o Senhor.
- Nem sempre falando e exortando, resolve...
- É preciso interceder:
2.1. Vejamos a mensagem de Ezequiel 22.30: “E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei”.
2.2. Vejamos também a mensagem do apostolo Paulo, homem, profundamente comprometido com o trabalho missionário (2 Tessalonicenses 3.1): “No demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós”.
“É chegada a hora de produzimos uma teologia de missões dentro do nosso conceito de fazer missões... ouçamos a voz do Espírito Santo através de sua palavra revelada. Está chegando a hora de erigirmos a nossa missiologia, e de orarmos a Deus a fim de que, neste momento de reflexão e esforço missionário, os anais da nossa IPB possam dar uma parcela importantíssima para o cenário evangélico brasileiro e também dos arredores do mundo.” (Reverendo Ehud Marques).

CONCLUSÃO – Será que estamos receptivos ao trabalho de Deus? Não podemos traçar o nosso perfil de vida cristã. Deixemos que Deus o trace. Temos que acatar o que Deus quer. Procuremos ver aquilo que está no coração de Deus. Ele fez de Jesus um missionário. Que Deus nos ajude a sermos de fato missionários e semeemos a boa semente do reino. Amém!

Rev. Cornélio Gonzaga

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

SANTIFICAÇÃO 1

A Santificação 1

Texto - 1o. Coríntios 6. 6 – 11: 1 Ousa algum de vós, tendo uma queixa contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? 2 Ou não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo há de ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? 3 Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?4 Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, constituís como juízes deles os que são de menos estima na igreja? 5 Para vos envergonhar o digo. Será que não há entre vós sequer um sábio, que possa julgar entre seus irmãos? 6 Mas vai um irmão a juízo contra outro irmão, e isto perante incrédulos? 7 Na verdade já é uma completa derrota para vós o terdes demandadas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes a fraude? 8 Mas vós mesmos é que fazeis injustiça e defraudais; e isto a irmãos.9 Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,10 nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.11 E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus. 12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.13 Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém aniquilará, tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo. 14 Ora, Deus não somente ressuscitou ao Senhor, mas também nos ressuscitará a nós pelo seu poder. 15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum.16 Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. 17 Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com ele. 18 Fugi da prostituição Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. 19 Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?20 Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.
INTRODUÇÃO - O pecado é algo palpável. Real e contundente. Não um paradoxo e sim alguma coisa que se sente e machuca muito. Vem do pecador e vai para pecador, disseminando e destruindo. Já a santificação vem de Deus, aplicada ao pecador salvo e redunda em fruto para Deus.
I. Santificação é Definitiva – O crente é separado para servir a Deus. Andar em novidade de vida. É um processo, mas também atua instantaneamente, após a regeneração e a conversão. A santificação é progressiva e só atua no crente devido a sua união com Cristo. Daí o grande conflito de todos nós, pois se trata da morte de pecado: “Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus... Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra... porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. (Col. 3:
1 – 3). A santificação rompe com o pecado – Rm. 6: 11, 12 e 14: “Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus... Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências...Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” . É o produto da nova criação - (Rm. 6:4 e 2 Co. 5.17).

II. A Santificação é Uma Peculiaridade do Crente e Por Isso São Chamados de Santos:
Veja estes textos: Quanto aos santos que estão na terra, eles são os ilustres nos quais está todo o meu prazer... E aconteceu que, passando Pedro por toda parte, veio também aos santos que habitavam em Lida... Para que a recebais no Senhor, de um modo digno dos santos, e a ajudeis em qualquer coisa que de vós necessitar; porque ela tem sido o amparo de muitos, e de mim em particular... Aprovada com testemunho de boas obras, se criou filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os atribulados, se praticou toda sorte de boas obras. (Sl. 16.3; At. 9:32; Rm.16:2; 1Tm.5:10).

III. A Santificação é Progressiva:
- Somente o crente tem o poder de dizer não ao pecado, apesar do mesmo ainda está enraizado no crente. A Bíblia adverte constantemente o cristão a lutar contra ele – Rm. 6: 11, 12 e 14: “Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus... Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências...Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” . O crente não é mais escravo do pecado – Jo. 8:32, 34; Tg. 3: 2; 1Jo. 1.8. Vejamos estes textos: Exterminai, pois, as vossas inclinações carnais; a prostituição, a impureza, a paixão, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria... Mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca...não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do homem velho com os seus feitos,e vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou... Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?... Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus... Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons”. (Co. 3.5, 8-10 e Mat. 7: 16-18. Tudo isso depende do aspecto legal e jurídico da nossa justificação.
IV. A Santificação Deus e o Homem Cooperam:
1. Veja o que Escritura diz: “E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade... Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviarei ao mundo... E por eles eu me santifico, para que também eles sejam santificados na verdade. (1Ts. 5:23; Jo. 17: 17 – 19).
2. Temos que fazer a nossa parte, ou seja, perseguí-la. “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor... tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem”. (Hb. 10: 14, 15).
3. O texto é muito claro com uma base bem sólida neste aspecto de Fl. 2: 12, 13: “De sorte que, meus amados, do modo como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, efetuai a vossa salvação com temor e tremor... porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade”.
V. Meios Para a Santificação:
- Deus utiliza métodos para nos santificar: A) A sua palavra, a pregação – Sl. 119. 9,10; B) A disciplina – Hb. 12. 10; C) A Fé - Rm. 1. 17. At. 26.18 e Hb. 11:6.

VI. O Propósito Divino Para a Santificação:
A santificação só se completará na eternidade. Porém Deus deseja que o crente seja sempre santo. “Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição” - 1 Ts. 4: 3. Deus nos criou conforme a sua imagem e semelhança e o seu propósito é que vivamos em pureza de vida (Rm. 8. 29 -30)

CONCLUSÃO – Deus é santo três vezes. Devemos ter sempre essa idéia... Enquanto Deus é santo demais. O homem é pecador demais. É um contraste. Por essa razão que Deus não se associa com o pecado, apesar de dEle amar o pecador. Na santificação nós morremos para os desejos carnais pecaminosos para que tenhamos uma melhor comunhão com Deus.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Jesus faz a Diferença

"Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também. Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença?Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso" (Lucas 23.39-43 ).

Quando estamos no mesmo barco, no mesmo rumo, e quando o destino é ruim muitas vezes entramos em desespero. Entramos por situações difíceis da vida. Olhamos para o nosso redor atrás de um socorro e só vemos a morte. É fome, guerra, conflito, violência, destruição, corrupção, etc. Olhamos para o nosso semelhante e não vemos esperança. Pelo contrário, o homem vai de mal a pior. Estamos sentenciados ao mesmo destino: a morte. Estamos sofrendo todos juntos como os dois ladrões da cruz. Sofremos como igreja, como família, como cidade, como nação, como habitantes do mesmo planeta. E é nestes terríveis momentos que estamos passando que devemos olhar para alguém especial, que é capaz de fazer a diferença em toda essa situação: Jesus Cristo.

A Bíblia diz que entre os dois malfeitores da cruz, entre os condenados, entre os perdidos para a sociedade, estava Jesus Cristo. Ele é a grande diferença neste mundo em que vivemos. Tê-lo em nossas vidas, em nosso lado. Pois sabemos que ele passou por dores semelhantes as que passamos. E sem merecer. Sofreu, morreu e venceu a morte para nos dar a vida. E uma vida abundante (João 10.10 b).Jesus fez a diferença entre os dois condenados. Principalmente na vida e no destino daquele que acreditou nele. “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (verso 43).
Meu amigo, Jesus pode fazer diferença na tua vida. Basta apenas olhar para Ele com os olhos espirituais, com os olhos da fé. O mesmo que Jesus fez a esse malfeitor Ele pode fazer com tua vida. Não importa quão grande seja o teu pecado, maior foi o sacrifício de Jesus por teus pecados. Receba hoje mesmo Jesus como único e suficiente Senhor e Salvador da tua vida.

sábado, 9 de janeiro de 2010

Movimento Gótico - O que significa












Nesta pequena explanação queremos dar algumas informações do significado gótico, pessoas que se consideram góticas ou seguem esse sistema ou movimento:
Gótico (do latim medieval gotticu) é o adjetivo que designa o que é proveniente, relativo, criado ou usado pelos Godos, assim denominado o povo da respectiva tribo germânica. v.g. idioma gótico = germânico , alfabeto gótico ou letra gótica.
Além de seu significado original, o vocábulo ganhou modernamente a conotação de "duro, bárbaro". A palavra gótico tem sido usada desde o século XVIII para se referir a coisas diferentes, distintas.
Gótico pode ser:
Gótico - uma língua germânica;
Estilo gótico - Um estilo artístico do norte, que floresceu na Europa do século XV, e que se caracteriza por elementos decorativos lanceolados lembrando chamas. (O desenho foi retomado na arte contemporânea sob o nome neogótico);
Literatura gótica - Um gênero literário britânico do fim do século XVIII e início do século XIX, trazido de volta pelos vitorianos cem anos depois.
Fonte – Wikipédia

No dicionário de Aurélio a palavra para gótica quer dizer: Adjetivo.
1.Relativo a godos ou proveniente deles.
2.Criado ou usado pelos godos. ~ V. abóbada —a, alfabeto —, estilo —, letra —a, romance — e tipo —.
Substantivo masculino.
3.V. estilo gótico.
4.Gloss. Língua dos godos. [V. germânico (4).]
Gótico antigo. 1. Arquit. V. romão (2).
Gótico flamejante. 1. Estilo gótico que floresceu no séc. XV, e se caracteriza pela presença de elementos decorativos, especialmente formas lanceoladas, à feição de chamas; gótico florido.
Gótico florido. 1. Gótico flamejante.

O gótico designa uma fase da história da arte ocidental, identificável por características muito próprias de contexto social, político e religioso em conjugação com valores estéticos e filosóficos e que surge como resposta à austeridade do estilo românico.
Este movimento cultural e artístico desenvolve-se durante a Idade Média, no contexto do Renascimento do Século XII e prolonga-se até ao advento do Renascimento Italiano em Florença, quando a inspiração clássica quebra a linguagem artística até então difundida. Os primeiros passos são dados a meados do século XII em França no campo da arquitectura (mais especificamente na construção de catedrais) e, acabando por abranger outras disciplinas estéticas, estende-se pela Europa até ao início do século XVI, já não apresentando então uma uniformidade geográfica.
A arquitectura, em comunhão com a religião, vai formar o eixo de maior relevo deste movimento e vai cunhar profundamente todo o desenvolvimento estético.
Fonte: Wikipédia

O termo
Quando a nova estética se expande além das fronteiras francesas, a sua origem vai ser a base para a sua designação, art français, francigenum opus (trabalho francês) ou opus modernum (trabalho moderno). Mas vai ser só quando o Renascimento toma o lugar da linguagem anterior que os novos valores vão entrar em conflito com os ideais góticos e o termo actual nasce. Na Itália do século XVI , e sob a fascinação pela glória e cânones da antiguidade clássica, o termo gótico vai ser referido pela primeira vez por Giorgio Vasari, considerado o fundador da história da arte. Aos olhos deste autor e dos seus contemporâneos, a arte da Idade Média, especialmente no campo da arquitectura, é o oposto da perfeição, é o obscuro e o negativo, relacionando-a neste ponto com os Godos, povo que semeou a destruição na Roma antiga em 410. Vasari cria assim o termo gótico com fortes conotações pejorativas, designando um estilo somente digno de bárbaros e vândalos, mas que nada tem a ver com os antigos povos germânicos (visigodos e ostrogodos).
Somente alguns séculos mais tarde, durante o romantismo nas primeiras décadas do século XIX, vai ser valorizada a filosofia estética do gótico. A arte volta-se novamente para o passado, mas agora para o período misterioso e desconhecido da Idade Média...
Fonte: Wikipédia

A Filosofia da Luz e a Abadia de Saint-Denis
O colorido e a exaltação da luz na rosácea de Sainte-Chapelle, Paris. O nascimento do estilo, mais que o seu desaparecimento, pode ser definido cronologicamente com clareza, nomeadamente no momento da reconstrução da abadia real de Saint-Denis sob orientação do abade Suger entre 1137 e 1144. Esta abadia beneditina situada nas proximidades de Paris, em França, vai ser o veículo utilizado à comunicação dos novos valores simbólicos: por um lado a dignificação da monarquia, por outro a glorificação da religião. Este empreendimento tem por objectivo apresentar o maior centro patriótico e espiritual de toda a França, ofuscando todas as outras igrejas de peregrinação, trazendo para si mais crentes e restabelecer a confiança entre a igreja e o seu rebanho... A pintura gótica, uma das expressões da arte gótica, não assume um papel de destaque logo desde o início do desenvolvimento do estilo. Apareceu apenas em 1200 ou quase 50 anos depois do início da arquitetura e escultura góticas. Só mais tarde, entre 1300 e 1350, a pintura tem o seu apogeu como expressão independente da arquitetura...
Arquitectura
Em Portugal, o estilo gótico aparece no último quartel do século XII, com as obras do Mosteiro de Alcobaça (começado em 1178 e habitado a partir de 1222). O Mosteiro, fundado pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, para a Ordem Cisterciense, é a primeira obra totalmente gótica de Portugal. Entretanto, a dissolução do estilo românico pelo gótico ocorreu lentamente, havendo muitas igrejas portuguesas de estilo de transição românico-gótico datando do século XIII e até do século XIV.
O gótico e os descobrimentos
Sé do Funchal (séc.XV-XVI)Durante o século XV e início do século XVI, os estilos gótico e manuelino foram levados pelos portugueses a seus domínios d'além mar, particularmente as ilhas atlânticas dos Açores e Madeira.
Neogótico
Vista da Abadia de Westminster em Inglaterra. As torres são neogóticas (séc XVIII).Dentro do espírito revivalista do Romantismo surge o gosto pela recriação de elementos da arte medieval, especialmente do gótico. Particularmente em Inglaterra esta nova corrente tem grande adesão, iniciando já em finais do século XVII com a aplicação de ornamentação ao estilo gótico em algumas construções novas.
Fonte: Wikipédia

Neogótico no Brasil
Conjunto arquitetônico Nossa Senhora da Piedade, em Ilhéus, Bahia. (séc XX).
Catedral da Sé de São Paulo (séc XX).Edificações góticas autênticas não existem no Brasil, mas o revivalismo neogótico popularizou-se a partir do reinado de D. Pedro II. Uma das igrejas neogóticas brasileiras mais antigas é a Catedral de Petrópolis, começada em 1884 mas só concluída em 1925, que abriga os túmulos do Imperador e sua família. Outro exemplo precoce é a Igreja do Santuário do Caraça, em Minas Gerais, reconstruída em estilo neogótico entre 1860 e 1885. No Rio de Janeiro, o pitoresco Palácio da Ilha Fiscal foi construído entre 1881 e 1889 sobre uma ilha na Baía da Guanabara. A Catedral da Sé de São Paulo (1913-1954), a Catedral de Santos (1909-1967), a Catedral de Belo Horizonte (começada em 1913) e a Catedral Metropolitana de Fortaleza (1938-1978)são exemplos de edifícios neogóticos tardios. O neomanuelino (variante portuguesa do neogótico) está representado no Brasil em edifícios como o Real Gabinete Português de Leitura (1880-1887), no Rio de Janeiro, e o Centro Português de Santos (1898-1901).
Fonte: Wikipédia

Gótica – Uma maneira diferente de encarar a vida
Roupas pretas, gosto pela melancolia, tristeza, fazer saraus em cemitérios... Estas podem ser as características para se definir uma pessoa gótica. Mas será que realmente existe uma definição?
Segundo muitos não existem uma verdadeira definição para o que é ser gótico; pois não é um movimento e assim não há características pré-definidas para serem listadas. O termo surgiu há muito tempo, com os Godos, um povo germânico vulgarmente chamado de Bárbaros e que foram os primeiros germânicos a se converterem ao cristianismo. Mesmo esse povo e sua cultura não tendo nada em comum com o estilo gótico é sempre bom lembrar a origem do termo.
http://www.spectrumgothic.com.br/gothic/materias/maneira_diferente.htm

Um Testemunho:
Enviado: 22/jul/05 12:24 - Citar
Nos países mais frios existe realmente uma cultura gótica, pessoas que andam de preto, usam maquiagem pesada na cara e lamentam da vida. Mas ai você vai ver o Brasil, 40 graus, miséria, pais tropical e você vê garotas e garotos vestidos de preto sob o sol do meio dia, dizendo ser góticos. Pessoalmente acho que isso é uma forçar barra dizer que é gótico... O que vocês acham dos "góticos" brasileiros?

Frases góticas
1. Não tenha medo da morte, pois ela é a libertação. Quando se sentir triste e sem solução saiba que chegou o momento de se libertar! (15.01.97)
2. Hoje sou apenas uma pessoa sem rumo e inconsciente que esta perdida entre os mundos e que só deseja se libertar de um demônio. Dizem que se ao menos eu tentasse talvez conseguiria me libertar, mas mesmo procurando luz me perderei entre as sombras, pois não tem como se escapar de algo que faz parte de você e que te domina!
3. Diante de ti aparecerá a tão temida criatura com aparência ingênua e um olhar profundo que irá te hipnotizar entrando na sua mente e fazendo de você o mais novo servo.
4. Em seus sonhos ELE entrará e te levará ao labirinto das trevas e lá possuirá sua alma!
jhesshica 22-07-2008 GTM 1 @ 20:57 - Nire Blog

Desabafo de um gótico
Janeiro 7, 2009:
Queria ser uma pessoa boa... Queria poder ser verdadeiro sem provocar dor, queria entender o que se passa por dentro, e o que se passa por dentro dos outros também,
Entender porque desejo a solidão, porque odeio a solidão, ter um voto de confiança sem ter que provar sanguinariamente por isso, esquecer a dor da confiança que se perdeu...
Quero ser frio, quero me importar, ser forte, ser vulnerável, não ter que escolher por um, ou outro, não ser comum, ordinário, sem esperar ser extraordinário.
Entender o que foi e porque tudo perdeu o sentido, descobrir o que é melhor pra mim, sem machucar ninguém, sem decepcionar ninguém, sem me decepcionar, não criar expectativa, não gerar expectativas.
Entender meus desejos, meus medos, e ser entendido...
Vai entender!!!
Desabafo por Gøthïc 8:52 AM [+] ::
Blog – Coração Gótico

O meu parecer:
Acredito que as pessoas têm a liberdade de expor seus desejos, sentimentos, emoções, vontades, liberdades e credos. Parece tudo indicar que o Gótico parece ser mais um movimento. Não é uma religião e sim um movimento diria “literário” - Convém lembrar aqui que toda liberdade de pensamento precisa estar respaldo com a consciência bíblia. São Paulo nos escreve uma orientação formidável para nossas vidas:
“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus” - I Coríntios 10:31.

Abaixo algumas fotos de pessoas que se consideram góticas:

Sonho - Prof. Cornélio Gonzaga

Sonho

Sonhei que estava sonhando,
Mas o sonho não era verdade era um sonho.
Um sonho que todos sonham, mas sempre é um sonho.
O sonho dormindo que todos sonham,
Mas é gostoso quando se sonha um bom sonho.

Um sonho que eu e você sonhamos, mas só acontece no sonho,
Eu continuo sonhando, pois a vida é um viver sonhando.
Se não fosse para viver sonhando melhor seria não sonhar.
Continuo sonhando meus sonhos,
Pois eles me ajudam a viver da vida um sonho.

Reflexão X Meditação

O SEGREDO DE UMA VIDA VITORIOSA PARA 2010

O Salmo 119 faz a maior apologia sobre a Palavra de Deus de toda a Bíblia. Este é o maior capítulo da Bíblia com cento e setenta e seis versículos dedicados a exaltar as Escrituras. Conhecer, viver e transmitir a Palavra de Deus é o grande segredo de uma vida vitoriosa. Dentre essas pérolas preciosas, vamos destacar um versículo e extrair dele três verdades preciosas: “Guardo no coração a tua Palavra para não pecar contra ti” (Sl. 119:11):
1. Devemos guardar a melhor coisa, a Palavra de Deus – O homem tem uma tendência natural de ser um colecionador. Ele sempre está guardando e armazenando alguma coisa. Há aqueles que ajuntam dinheiro, pensando que a riqueza lhes dará a segurança no futuro. Mas o dinheiro não é seguro nem oferece segurança. Reter a Palavra é melhor do que amealhar riquezas. É pela Palavra que o jovem pode guardar puro o seu coração. É pela Palavra que somos santificados. É pela Palavra que somos instruídos, consolados e capacitados para vivermos vitoriosamente.
2. Devemos guardar a melhor coisa, a Palavra de Deus, no melhor lugar, no coração – Hoje nós temos acesso a muitas Bíblias de estudo, mas paradoxalmente, aumenta o desconhecimento da Palavra. Há crentes que gostam de fazer coleção de bíblias, enchendo prateleiras de exemplares nas mais variadas versões, mas não guardam a Palavra de Deus no coração. Outras pessoas lidam com a Bíblia de forma mística, mantendo-a aberta no Salmo 91, esperando com isto afastar as más influências... Jesus triunfou sobre as tentações do diabo no deserto porque a Palavra estava no seu coração e jorrava abundantemente dos seus lábios.
3. Devemos guardar a melhor coisa, a Palavra de Deus, no melhor lugar, no coração, para o maior propósito, para não pecarmos contra Deus – Dwight Moody escreveu certa feita na capa da sua Bíblia: “Este livro afastará você do pecado ou o pecado afastará você deste livro”. Afastamo-nos do pecado à medida que nos aproximamos da Palavra ou nos afastamos da Palavra à medida que flertamos com o pecado... Hoje, muitos crentes buscam sucesso nas leis pragmáticas do mundo, mas o verdadeiro sucesso está em meditar, obedecer e ensinar a Palavra de Deus. Somente aqueles que meditam na lei de Deus de dia e de noite é que são como árvores frutíferas plantadas junto às correntes das águas.
Que Deus levante na vida desta igreja uma geração que ame a Palavra, que tenha fome da Palavra, que viva a Palavra e que a proclame no poder do Espírito Santo! Tenha uma vida vitoriosa em 2010, SEGUNDO A PALAVRA.
Rev. Hernandes Dias Lopes

Transcrito do Boletim Mensal da Primeira Igreja Presbiteriana de Paulo Afonso/BA
Mês Janeiro - 2010

A Ordem da Salvação

Introdução:
É verdade que Deus conhece de antemão os eventos, mas o ponto frisado por Paulo foi que Deus tem, por sua própria iniciativa, escolhido os objetos de seu amor salvífico. “Conhecer”, subetende uma relação pessoal íntima, e não meramente a consciência de fatos e circunstâncias “Adão teve relações com Eva, sua mulher, e ela engravidou e deu à luz Caim. Disse ela: “Com o auxílio do SENHOR tive um filho homem”.(Gn. 4:1). “Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus” (Mt 1:25 ). Veja Am 3.2. Isto é virtualmente o equivalente da “eleição” - Rm. 8:30. Aqueles que foram predestinados são, no devido tempo, “chamados” ou convocados eficazmente através do evangelho para a comunhão da salvação com Cristo (1Co. 1.9). Observamos que todos aqueles que foram “chamados” também foram “justificados”.
Com isso se pretende estabelecer e distinguir os vários elementos que copoem a salvação. Alguns estudiosos se esforçam por estabelecer uma ordem cronológica, isto é, apontando os aspectos da salvação que se sucedem um a um. Em geral, a ordem mais aceita no meio reformado é a seguinte: (1) Vocação, (2) Regeneração, (3) Fé e Arrependimento, (4) Justificação, (5) Adoção, (6) Santificação, (7) Perseverança e (8) Glorificação.

I. SALVAÇÃO UM PROCESSO UNITÁRIO
“...antes da pessoa experimentar a fé ela precisa ouvir a Palavra, pois a Escritura diz que “...a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” - (Rm. 10:17). Porém, é um erro pensar que exista um esquema fixo que possa ser estabelecido de forma cronológica.

O Crer em Cristo
O novo nascimento ou regeneração

1. O Selo do Espírito Santo - A Bíblia diz que a fé vem pela pregação - (Rm. 10.17). São Pedro diz que somos “regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente” (1 Pe. 1:23). Diz também que “Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa... que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória”.

2. A Justificação Pela Fé - Não somos justificados pelas obras, “visto que Deus é um só, o qual justificará, por fé, o circunciso e, mediante a fé, o incircunciso” - (Rm. 3:30). “...porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” - (Ef 2: 8,9). São Paulo diz também que a habitação do Espírito em nós faz-nos filhos adotivos de Deus, herdeiros e livres: “pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”.

3. Adoção na família de Deus - “...mas recebeste o espírito de adoção, baseados no qual chamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados” - (Rm 8.14-17).

4. Libertação do pecado - Diz que somos livres do pecado para podermos viver para Deus: “porque eu, mediante a próprio lei, morri para lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo” - (Gl. 2:19; Rm. 6:3-14).

5. Glorificação - “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque havermos de vê-lo como ele é” - (1 Jo. 3: 2).

II. A ORDEM DE ROMANOS 8: 29,30:
Da Predestinação à Vocação
Da Vocação à Justificação
Da Justificação à Glorificação

1. Da Predestinação à Vocação
Primeiramente São Paulo diz: “aos que predestinou, a esse também chamou”. A predestinação é o primeiro ato da salvação de alguém. Somente serão salvos os que foram predestinados para a salvação. Esse é um ensino muito claro das Escrituras:
Ef. 1: 3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo; 4 como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; 5 e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, 6 para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado; 7 em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça, 8 que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência, 9 fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs 10 para a dispensação da plenitude dos tempos, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra, 11 nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade,12 com o fim de sermos para o louvor da sua glória, nós, os que antes havíamos esperado em Cristo; 13 no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa, 14 o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória...
2Ts. 2: 13 Mas nós devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos, amados do Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a santificação do espírito e a fé na verdade...
2Tm. 1: 8, 9 Portanto não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa comigo dos sofrimentos do evangelho segundo o poder de Deus, 9 que nos salvou, e chamou com uma santa vocação, não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos...
Jo. 6: 37 Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. 38 Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. 39 E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia. 40 Porquanto esta é a vontade de meu Pai: Que todo aquele que vê o Filho e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. 41 Murmuravam, pois, dele os judeus, porque dissera: Eu sou o pão que desceu do céu; 42 e perguntavam: Não é Jesus, o filho de José, cujo pai e mãe nós conhecemos? Como, pois, diz agora: Desci do céu? 43 Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós. 44 Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia....
Rm. 9: 6 Não pensemos que a palavra de Deus falhou. Pois nem todos os descendentes de Israel são Israel... 7 Nem por serem descendentes de Abraão passaram todos a ser filhos de Abraão. Ao contrário: “Por meio de Isaque a sua descendência será considerada”b. 8 Noutras palavras, não são os filhos naturais que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa é que são considerados descendência de Abraão. 9 Pois foi assim que a promessa foi feita: “No tempo devido virei novamente, e Sara terá um filho”d.10 E esse não foi o único caso; também os filhos de Rebeca tiveram um mesmo pai, nosso pai Isaque. 11 Todavia, antes que os gêmeos nascessem ou fizessem qualquer coisa boa ou má a fim de que o propósito de Deus conforme a eleição permanecesse, 12 não por obras, mas por aquele que chama foi dito a ela: “O mais velho servirá ao mais novo”e.13 Como está escrito: “Amei Jacó, mas rejeitei Esaú”f.14 E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma! 15 Pois ele diz a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão”g.16 Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus. 17 Pois a Escritura diz ao faraó: “Eu o levantei exatamente com este propósito: mostrar em você o meu poder, e para que o meu nome seja proclamado em toda a terra”h. 18 Portanto, Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer.19 Mas algum de vocês me dirá: “Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste à sua vontade?” 20 Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? “Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?’i” 21 O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso? 22 E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com grande paciência os vasos de sua ira, preparadosj para a destruição? 23 Que dizer, se ele fez isto para tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de antemão para glória, 24 ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre os gentios?. Texto da NVI.

2. Da vocação à justificação
Na seqüência Paulo diz: “e aos que chamou, a esses também justificou”. - A justificação deve ser entendida como o ato pelo qual Deus declara justo o homem pecador. Isso somente é possível por causa dos méritos de Jesus que, com seu sangue, satisfez a justiça divina, e resgatou o homem do pecado, substituindo-o na cruz. Com base no mérito de Cristo, Deus declara justo o pecador. Nessa fase do chamado à justificação estão inclusos: a regeneração, o arrependimento, a fé e o selo ou batismo do Espírito.

3. Da justificação à glorificação
Na seqüência Paulo declara: “e aos que justificou, a esses também glorificou”. Essa é a parte final da salvação. Da justificação à glorificação precisam estar incluídas necessariamente a santificação e a perseverança. Novamente, não como coisas cronologicamente distintas, pois que são simultâneas, mas como essencialmente distintas. Pois de fato embora a santificação e a perseverança caminhem na mesma direção, são coisas diferentes. Santificarão refere-se ao abandonar o pecado e viver para justiça e a perseverança é o ato de permanecer firme na graça de Deus até o fim.

CONCLUSÃO - II TIMóTEO - 2:19 - “Todavia o firme fundamento de Deus permanece, tendo este selo: O Senhor conhece os seus, e: Aparte-se da injustiça todo aquele que profere o nome do Senhor”. Pois bem, a doutrina da predestinação é uma das doutrinas mais eficientes das Escrituras Sagradas. Pois ela nos dá a garantia de que não perdemos em hipótese alguma a salvação. Veja João 10: 27 – 29: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Isto é tremendo. saiba, acima de tudo, Deus teve um plano para você.
Estude mais sobra a predestinação. Sem paixão pelo Arminianismo. Amém! Deus te ajude.
Se quiser utilize: profgonzaga@hotmail.com

Obs. Este Estudo tem base em lições bíblicas da EBD da Editora Cultura Cristã

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

A Alma

A Alma - Cornélio Gonzaga


A alma é sequiosa por ela mesma.
E somente quem a criou sabe o seu dilema.
Deus, certamente sabe sua estremesma.
Porém, me contenho por saber que ela é assim mesma.



Faço parte dela eternamente.
Pois do Criador fui gerado certamente.
Quem crê nEle vive eternamente.
É o que esperamos conscientemente.