http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Plantando Igreja Entre os Guarani

















Quero apresentar aqui o Projeto do Rev. Aldo Fernandes - APMT - Agência Presbiteriana de Missões Transculturais

Plantando Igreja Entre os Guarani


1. Apresentação

Entendendo o propósito de Deus para o homem, e tendo sido alvo deste propósito por meio de Jesus Cristo, temos dedicado nossas vidas para contar o plano de Deus para aqueles que ainda não sabem, em lugares onde não há ainda igreja estabelecida e nem pessoas que testemunhem da Palavra de Deus.
Estamos trabalhando há pouco mais de dois anos entre os Guarani, próximo a cidade de Eldorado – MS. A minha esposa fala este idioma, e eu estou em fase de Aprendizado. Apesar de o povo Guarani ser numeroso e viver, na sua maior parte, próximos centros urbanos (pequenas cidades do interior), não há ainda a existência de uma igreja forte e madura que testemunha a experiência do conhecimento e transformação da Palavra de Deus entre o seu próprio povo. O que nos desafia a empenhar-nos nesta tarefa, que acreditamos ser o que Nosso Deus quer de nós, e a Sua Salvação para esta gente.

2. Aspectos Sócio-culturais Guarani

• População

Segundo dados do governo federal (cd-rom do Itamarati) a população Guarani ultrapassa em pouco mais de 30 mil índios. Sendo, portanto, a maior tribo do Brasil, vindo em seguir a tribo Yanomami; contando com 20 mil no Brasil e 10 mil na Venezuela.
Os Guarani são bem diferentes da imagem que fazemos do índio brasileiro; nu ou semi nu, paramentado com cocares e pinturas no corpo. Hoje em dia os Guarani se vestem igual a população não índia, só que de uma maneira mais precária. Devido a este fato sofrem um preconceito ao revés; o de serem índios aculturados. O que de fato não é verdade, pois no interior de suas aldeias vivem orientados por uma cosmovisão animista e praticam diversas cerimônias. Algumas delas presenciadas por nós. Além de fazerem largo uso de sua língua para se expressarem, apesar do conhecimento limitado que têm do português.

• Localização

Os Guarani estão bem espalhados pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul. Também há um considerável número de aldeias no Paraguai e Argentina.
A aldeia Cerrito está localizada nas proximidades do município de Eldorado no Mato Grosso do Sul. Esta é uma região agropecuária muito produtiva principalmente de gado de corte, soja, milho, mandioca entre outros. Temos concentrado nossos esforços nesta aldeia.


• Vida Cerimonial

A vida cerimonial dos Guarani é intensamente marcada por rituais numa casa que eles chamam de “opy” ou “tava”. É ali onde acontece às danças, os cânticos, onde os pajés fazem suas “curas”, as “orações”, os aconselhamentos e etc. Os cânticos na maioria das vezes fala da “Terra Sem Males” (lugar considerado pelos Guarani como um paraíso), do amendoim sagrado e etc. O pajé é uma figura respeitada e atuante entre eles. É o pajé quem os orienta na sua vida religiosa. Um aspecto de destaque na vida dos Guarani é a crença num lugar a oeste onde fica a “Terra Sem Males”. Há vários registros de grupos Guarani em peregrinação rumo a “Terra Sem Males”, sendo orientados pelo pajé.

• Língua e Cultura

Como já foi mencionado os Guarani fazem amplo uso de seu idioma, sendo que muitos na sua maioria falam um português bem limitado. Pouquíssimos têm um bom domínio do português.
Quem conviver com os Guarani verá que são uma gente com identidade própria, com valores e comportamentos bem diferentes dos não-índios. À medida que temos nos aprofundado na vida cotidiana Guarani temos ficado surpresos com as descobertas da cultura deste povo.

• Situação Sócio-econômica

No passado os Guarani dispunham em sua reserva de bem mais recursos que satisfaziam suas necessidades. Hoje em dia estes recursos estão bem escassos. Ainda se encontram algumas poucas espécies de caça, frutas, e material que é retirado do mato para fazer suas casas e artesanato com o fim de venderem. Esta escassez tem afetado sua alimentação tradicional assim como sua organização econômica. Na sua maioria os Guarani dependem da ajuda do governo, o que tem causado ainda mais paternalismo por parte do governo e dependência por parte dos índios.


3. Justificativa

As aldeias Guarani, em sua maior parte, ainda não foram evangelizados em seu próprio idioma considerando aspectos relevantes de sua cultura. Muitas igrejas pentecostais tiveram boa aceitação entre eles, mas nenhuma vingou. Acreditamos que esta aceitação se deve ao fato de um animista ser um manipulador do sobrenatural. Esta tentativa de “manipular Deus” se ver muito em igrejas pentecostais. A realidade é que os Guarani já tiveram experiências frustradas com o evangelho, devido ao fato de a mensagem não ser no idioma nativo (o que limita o entendimento), e não contextualizado na sua cultura (na maneira como um Guarani enxerga a vida). De tudo isto resultou sincretismo.
Acreditamos que o ensino Bíblico dado na língua Guarani, contextualizado na sua cultura causará um grande impacto na sociedade Guarani.

4. Descrição do Trabalho

• Metas

Nosso objetivo maior é o estabelecimento de uma igreja Auto-sustentadora, Autogovernadora, e Autopropagadora.

• Propósito

I. Estudo da Cultura

Entender a cultura indígena é de importância vital para a comunicação em geral e principalmente para o ensino bíblico. As anotações da cultura serão feitas no “Livro de Acontecimentos”. É neste livro que serão lançadas as informações de Cultura Material (mapa da aldeia, sistema de parentesco, moradores da aldeia e etc.), Cultura Econômica, Cultura social, Cultura Política, Cosmovisão, Arte e Divertimento entre outros.
Este conhecimento prévio é imperativo para se ter um melhor entendimento dos problemas tribais e principalmente paro um ensino bíblico sem sincretismo.

II. Aprendizado da Língua

É importante para uma boa comunicação. Entender tudo, ser fluente na língua é de vital importância para o ensino escolar, ensino bíblico, preparo de material bilíngüe e treinamento em várias áreas de desenvolvimento de projetos.
Uma análise lingüística nível por nível é base para o aprendizado da língua. Ara uma boa tradução precisa-se de uma boa análise detalhada.

III. Tradução

Traduzir material para o ensino bíblico, discipulado e implantação de igreja. A Bíblia já foi traduzida para este idioma. Será preciso verificar se há necessidade de fazer adaptações.

IV. Ensino Bíblico e Discipulado

Por não haver pano de fundo bíblico entre os Guarani, eles estão sendo evangelizados em ordem cronológica. Esta maneira de ensinar fornece isso claramente, passo à passo, e facilita o entendimento por parte dos indígenas a respeito do panorama completo da Bíblia.

V. Treinamento de Líderes e Professores

Será vital para a fundação, funcionamento e crescimento espiritual da igreja indígena e dos crentes. O próprio nativo, quando entende, fornece melhor o ensino.

VI. Projetos de Desenvolvimento Sócio-Econônico

Devido à necessidade, é importante desenvolver vários projetos comunitários, visando melhorar suas condições de vida e dar certa autonomia econômica. Disto também depende a sobrevivência autônoma da igreja. Pela experiência que temos, estes projetos causam um impacto positivo para a pregação do Evangelho.

VII. Retirada dos Missionários

Uma retirada planejada é importante para a continuidade, um crescimento espiritual e numérico e autonomia da igreja Guarani. Será necessário:
 Distribuir e tornar acessível todo material publicado no idioma.
 Entregar todas as responsabilidades para a liderança nativa.
 Visitas e assistências ocasionais deverão ser feitas por parte dos missionários para resolver problemas da igreja enquanto atua sob responsabilidade da liderança indígena.

5 Conclusão

Está diante de nós este grande desafio: O de participar como cooperadores de Deus no plano da salvação para o homem (1ª Cor 5.18 – 6.1). Temos consciência que esta tarefa não é de uma ou duas pessoas apenas, mas da Igreja do nosso Senhor Jesus. Buscamos por parceiros e igrejas que entendam seu papel diante de Deus neste mundo, e que se envolvam conosco na plantação de igreja entre os índios Guarani.
Deus nos abençoe, e nos faça ter bom êxito!

Pelo Senhor e por Sua Obra,

Aldo e Beth Fernandes
Caixa Postal, 16
Eldorado – MS
79970-000

Fone: 67 9296 3828 ; 67 9274 1918
E-mail: aldofernandes@ibest.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário