http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A Escola Dominical – Meristema de sustentação da Igreja


A Escola Dominical – meristema de sustentação da Igreja
Uma das metáforas mais belas com que a Escritura Sagrada ilustra o crente e a igreja é a figura da planta.
“O justo florescera como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano” (Salmo 92:12). “Ele é como a árvore plantada junto à corrente de águas” (Salmo
1:3). “Eu sou a videira e vós os ramos” (João 15:5); “O campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino” (Mateus 13:38); “...e vos designei para que vades e deis frutos” (Jo 15:16); “Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada” (Mateus 15:13).
A figura da planta é belíssima e muito significativa porque tudo o que ocorre com ela encontra paralelo na vida do crente individualmente, e da Igreja, coletivamente.
Uma vez colocada a semente (a Palavra) na terra (o coração do crente) desencadeia-se o processo de germinação e crescimento: é o novo nascimento. Aflorando à superfície, o pequenino broto, frágil e tenro, tem de vencer vários obstáculos para crescer: as aves (o maligno) que o danificam; o solo pedregoso (as angústias e perseguições); os espinhos (os cuidados do mundo e as riquezas). A palavra que cai em boa terra faz germinar a árvore – o crente, ou a igreja – cujo objetivo é crescer e frutificar.
Ensinam os botânicos que o crescimento das plantas se dá através dos chamados meristemas. Meristemas é um sistema de células de alta reprodutividade. Há dois tipos de meristemas: o primário e o secundário. O meristema primário são aquelas células localizadas nas zonas de alongamento da planta , ou seja, nas extremidades das raízes e nas pontas dos galhos.
O meristema secundário são as células que fazem o caule e os galhos crescer em espessura e firmeza. Quanto mais antigas, mais rijas e resistentes. A mínima brisa, faz balouçar as pontas dos galhos, onde se desenvolve o meristema primário, mas o tronco e as bifurcações, se estiverem bem espessas, fortes e firmes, resistem aos vendavais.
Quando Jesus disse: “Ide e pregai...” falava do primeiro meristema, referindo-se ao fenômeno da conversão que procede à pregação, que vem da graça, mediante a fé. Mas quando ele disse: “...ensinado-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”, referia-se ao segundo meristema – o crescimento no conhecimento, que dá firmeza ao crente.
Cabe à Escola Dominical, através do ensino, precipuamente, prover a igreja desse crescimento típico do meristema secundário da planta. De nada adianta converter sem ensinar. Há igrejas que se entregam a uma grande atividade evangelística, esquecendo-se porém, de doutrinar progressivamente os conversos, deixando-os como presas fáceis das aves, do solo pedregoso e dos espinhos. É preciso crescer nas duas maneiras, diz o apostolo: “crescer na graça e no conhecimento” (2Pedro 3:18).
Bendita Escola Dominical! – Adaptado – Brasil Presbiteriano

Nenhum comentário:

Postar um comentário