http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

segunda-feira, 29 de março de 2010

Páscoa – Seu Significado


Páscoa – Seu Significado

A páscoa era realizada a 14 do 1º. mês de abide (abril) para comemorar a saída do povo de Deus do Egito.
1. A páscoa era ordenada por Deus – Ex. 12: 1-2: "Ora, o Senhor falou a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo:Este mês será para vós o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano”.
2. Começava no décimo quarto dia no primeiro mês da tarde – Ex. 12: 2,6-18: “Este mês será para vós o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano... e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha: Tomarão do sangue, e -lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada ao fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão. Não comereis dele cru, nem cozido em água, mas sim assado ao fogo; a sua cabeça com as suas pernas e com a sua fressura. Nada dele deixareis até pela manhã; mas o que dele ficar até pela manhã, queimá-lo-eis no fogo. Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor. Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor. Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito. E este dia vos será por memorial, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; através das vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo. Por sete dias comereis pães ázimos; logo ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas, porque qualquer que comer pão levedado, entre o primeiro e o sétimo dia, esse será cortado de Israel. E ao primeiro dia haverá uma santa convocação; também ao sétimo dia tereis uma santa convocação; neles não se fará trabalho algum, senão o que diz respeito ao que cada um houver de comer; somente isso poderá ser feito por vós. Guardareis, pois, a festa dos pães ázimos, porque nesse mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito; pelo que guardareis este dia através das vossas gerações por estatuto perpétuo.No primeiro mês, aos catorze dias do mês, à tarde, comereis pães ázimos até vinte e um do mês à tarde. Veja ainda” : Lev. 23. 5.
3.A páscoa durava sete dias – Ex. 12: 15: “Por sete dias comereis pães ázimos; logo ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas, porque qualquer que comer pão levedado, entre o primeiro e o sétimo dia, esse será cortado de Israel” – Veja ainda: Lev. 23.6.
4. A pacoa era chamada de:
a) Páscoa – Nm. 9:5; Jo. 2.23.
b) Páscoa dos judeus – Ex. 12: 11: 27.
c) Páscoa do Senhor – Ex. 12: 11, 27.
d) Festas dos pães asmosMc. 14:1; Lc. 22:1.
e) Dias dos pães asmosAtos 12:3 e 20:6.
5. Todos os homens tinham de comparecer, Ex. 23:17: “Três vezes no ano todos os teus homens aparecerão diante do Senhor Deus” - e Dt. 16:16.
6. O cordeiro pascal era comido no primeiro dia, Ex. 12: 6-8: “....e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembleia da congregação de Israel o matará à tardinha: Tomarão do sangue, e -lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada ao fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão”.
7. Os pães asmos eram comidos durante a festa – Ex. 12:15: “Por sete dias comereis pães ázimos; logo ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas, porque qualquer que comer pão levedado, entre o primeiro e o sétimo dia, esse será cortado de Israel”.
8. Fermento:
a) Não podia ser encontrado nas casas – Ex. 12: 19.
b) Não podia ser encontrado em seus domínios - Ex. 13:7.
c) Havia castigo contra os que comessem - Ex. 12: 15-19.
9. Primeiro e o último dia da festa eram santas convocaçõesLv. 23: 10 – 14:“Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando houverdes entrado na terra que eu vos dou, e segardes a sua sega, então trareis ao sacerdote um molho das primícias da vossa sega; e ele moverá o molho perante o Senhor, para que sejais aceitos. No dia seguinte ao sábado o sacerdote o moverá. E no dia em que moverdes o molho, oferecereis um cordeiro sem defeito, de um ano, em holocausto ao Senhor. Sua oferta de cereais será dois décimos de efa de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta queimada em cheiro suave ao Senhor; e a sua oferta de libação será de vinho, um quarto de him. E não comereis pão, nem trigo torrado, nem espigas verdes, até aquele mesmo dia, em que trouxerdes a oferta do vosso Deus; é estatuto perpétuo pelas vossas gerações, em todas as vossas habitações”.
10. A páscoa era para comemorar:
a) A passagem do anjo destruidor poupando os primogênitos israelitas – Ex. 12: 12,13.
b) O livramento de Israel da escravidão egípcia – Ex. 12: 17- 42 e Dt. 16:3.
c) Devia ser perpétuamente observada durante a dispensação mosaica - Ex. 12: 14 e 13.10.
d) Para as crianças devia ser ensinado tanto sua natureza como seu propósito, Ex. 12: 26, 27.
e) A purificação era necessária para a devida observância da mesma – 2 Cron. 30: 15-19.
f) Podia ser observada no 2º. mês pelo que estiveram impuros durante o tempo marcado – Nm. 9: 6-11.
g) Nenhum incircunciso podia observá-la - Ex. 43: 45.
h) Estrangeiros e escravos uma vez circuncidados podiam observá-la – Ex. 12: 44, 48.
i) Quem negligenciasse era punido com a morte – Nm.9:13.
j) Observância imprópria recebia o castigo - 2 Cr. 30: 2,3, 15.
11. Celebrações notáveis da Páscoa:
a) Na partida do Egito Ex. 12: 28,50.
b) No deserto do Sinai – Nm. 9: 3- 5.
c) Na entrada da terra da promessa – Js.5:10,11.
d) Durante o reinado de Ezequias – 2 Cr. 30:1.
e) No reinado de Josias – 2 Reis 23:22-23.
f) Após o cativeiro – Ed. 6: 19,20.
g) Antes da morte de Cristo – Lc: 22:15.
12. Moisés observou-a pela féHb. 11:28: “Pela fé Moisés... celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos não lhes tocasse”.
13. Cristo sempre observou como cumpridor da leiMt. 26: 17-20: “Ora, no primeiro dia dos pães ázimos, vieram os discípulos a Jesus, e perguntaram: Onde queres que façamos os preparativos para comeres a páscoa? Respondeu ele: Ide à cidade a um certo homem, e dizei-lhe: O Mestre diz: O meu tempo está próximo; em tua casa celebrarei a páscoa com os meus discípulos. E os discípulos fizeram como Jesus lhes ordenara, e prepararam a páscoa. Ao anoitecer reclinou-se à mesa com os doze discípulos...” - Veja ainda: Lc.22:15 e Jo. 2:13,23.
14. O povo de Jerusalém alugava seus quartos para os estranhos que vinham a festaLc. 22:11,12: “E direis ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado; aí fazei os prepara”.
15. A ceia do Senhor foi instituída durante a páscoaMt. 26: 26 - 28:“Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados”.
16. Havia o costume de soltar um prisioneiro durante a páscoaMt. 27:15: “Ora, por ocasião da festa costumava o governador soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse” - Veja ainda: Lc.23:16,17.
17. O sábado da festa era realmente um dia grandeJo. 19:31: “Ora, os judeus, como era a preparação, e para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, pois era grande aquele dia de sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados dali” - e finalmente:
18. Ilustra a redenção por meio de Cristo – 1 Co. 5:7, 8: “Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado. Pelo que celebremos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade”; 1Pe. 1: 19: “....mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo”.

Conclusão – Em face desses dias que para alguns são considerados “dias grandes” ou semana chamada “santa” – é preciso refletir não na singularidade do dia, mas sim no que representa o sacrifício de Cristo na cruz, que sela a nossa redenção. Jesus – o cordeiro pascal, - o cordeiro imolado, garante-nos a certeza da salvação eterna. Toda a trajetória de Cristo ao rumo do calvário, postura, vínculos incomensuráveis, que foram, garantido mediante a sua morte, que, aliás, o sacrifício de Cristo não ficou apenas no calvário, porém, foi mais longe de nossa visão: A sua ressurreição dentre os mortos. Garantindo a ressurreição daqueles que crêem no seu nome, pois ele é as primícias dos que dormem (morrem). Portanto, os vínculos da cruz trazem-nos uma mudança sistemática no nosso homem interior.

Rev. Cornélio Gonzaga

Obs - Este estudo tem base na Bíblia Vida Nova – Edições Vida Nova




Um comentário:

  1. Paz, Cornélio.

    Parabéns, pelo seu trabalho neste blog. Que Deus em Cristo Jesus lhe continue abençoando poderosamente.

    Estou seguindo o vosso blog.

    Aproveito pra lhe convidar a visitar meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo. Comente, pois seus comentários são muito importante para mim poder estar sempre em melhorias no meu blog.

    http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

    Siga-nos também.

    Fica com Deus.
    Um abraço, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir