http://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2F74.222.1.197%3A13742%2F%3Btype%3Dmp3%26volume%3D100%26

Loading...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

OS FARISEUS




A seita maior e de maior influência nos dias do Novo Testamento era dos Fariseus. O seu nome se deriva do verbo parash, ‘separar’. Eram os separatistas ou Puritanos do Judaísmo que se afastavam de todas as mais associações e que procuravam prestar completa obediência a todos os preceitos da lei oral ou escrita. Esta seita formou-se pouco depois do tempo dos Macabeus e aí 135 a. C. estava firmemente estabelecida.

A sua teologia fundamentava-se no cânone completo do Velho Testamento que compreendia a lei de Moisés, ou Torah, os profetas e as Escrituras. Usavam o método alegórico de interpretação, para poderem dispor de elasticidade bastante na aplicação dos princípios da lei a novas questões que pudessem ser levantadas. Ligavam muita importância à lei oral ou tradição que observavam escrupulosamente. Acreditavam na existência de anjos e de espíritos, na imortalidade da alma e na ressurreição do corpo. Praticavam a oração e o jejum rituais e entregavam o dízimo meticulosamente (Mateus 23:23; Lucas 11:42). Eram muitos estritos na guarda do sábado, não permitindo, sequer a cura dos doentes, nem a ceifa de trigo para comer na jornada (Mt. 12:12).

Kohler dá sete tipos de Fariseus extremistas:
1. O Fariseu ‘ombro’, que fazia ostentação das suas boas obras diante dos homens com uma insígnia no ombro.
2. O Fariseu ‘espere-um-pouco’, que pedia a qualquer pessoa que esperasse por ele enquanto realizava uma boa ação.
3. O Fariseu ‘cego’, que se feria a si próprio de encontro a uma parede, porque fechava os olhos para evitar ver uma mulher.
4. O Fariseu ‘pilão’, que andava com a cabeça pendente para não ver tentações sedutoras.
5. O Fariseu ‘eterno-contador’, que andava sempre a contar se as suas boas ações que se equiparavam às suas faltas.
6. O Fariseu ‘temente-a-Deus’, que como Job, era verdadeiramente justo.
7. O Fariseu ‘amante-de-Deus’, como Abraão.

Posto que muitos dos fariseus fossem tão introspectivamente objetivos na obediência à lei que muitas vezes se tornassem ruidosamente homens de justiça própria, havia muitos outros entre eles que eram verdadeiramente homens virtuosos e bons. Nem todos eles eram hipócritas. Nicodemos, que procurou Cristo tão zelosamente durante seu ministério terreno, e que, por fim, partilhou com José de Arimatéia a responsabilidade do sepultamento do corpo de Jesus, era um fariseu. (Saulo de Tarso, que por muito veementemente perseguidor da igreja que fosse, confessava que era fariseu e filho de fariseu (Atos 23:6), e que ‘quanto à justiça que há na lei era irrepreensível’ – Fl.3:6. Os padrões morais e espirituais do Fariseu podem ter tido tendência para a justiça própria e, consequentemente, para a hipocrisia, mas eram, no entanto, elevados padrões, em comparação com a média daquele tempo.
De todas as seitas do Judaísmo só o Farisaísmo sobreviveu. Tornou-se o fundamento do Judaísmo ortodoxo moderno, que segue o modelo da moralidade, do cerimonialismo e do legalismo farisaico.

Fonte – O Novo Testamento sua Origem e Análise – Pg 126.

Um comentário:

  1. TENTA TE ORIENTAR PELO CALENDÁRIO DAS FLORES,
    ESQUEÇE, POR UM MOMENTO, OS NÚMEROS, A SEMANA ,
    O DIA DE TEU NASCIMENTO.
    SE CONSEGUIRES SER LEVE, APROVEITA,
    ENCHE TUAS MALAS DE SONHO E TOMA CARONA NO VENTO.

    (FERNANDO CAMPANELLA)


    Feliz semana e beijos meus!!

    ResponderExcluir